Uma lição poderosa

Eu já estava de saída pra levar as cestas básicas quando a voz de nossa voluntária, do outro lado da linha, com um lindo e forte sotaque, pediu pra Val... "Pastora, se tiver cobertores traz também, tem famílias precisando!". (Temos enfrentado uma onda de frio estes dias aqui em Maringá com a mínima chegando a 8 graus).

Fizemos um rapa no depósito, juntamos oito cobertores e levamos junto com cestas básicas que iriam suprir a necessidade básica de 72 pessoas, entre adultos e crianças, todos migrantes. De madrugada, ainda trabalhando, recebo esta foto com uma palavra de gratidão. Coração fica apertado. Sono vai embora. Como dormir se meu irmão está dormindo no chão? usando uma coberta como colchão, e ainda neste frio...

Na manhã seguinte entregamos mais dois colchões, 4 cobertores e roupas de cama pra pessoas que chegaram ao Brasil buscando refúgio e melhores condições de vida. Não falam nossa língua e por conta da pandemia fica muito mais difícil encontrar trabalho. São extremamente vulneráveis. Aqueles que os acolheram são imigrantes recém-chegados também. Tem pouco, mas mesmo este pouco é repartido com generosidade. Eles me ensinam muito sobre o que é essencial, o que é compartilhar, o que é amar, o que servir.

A foto que teve a intenção de agradecer, na verdade trouxe, involuntariamente, uma santa confrontação. Olhando pra ela agora com mais atenção percebo o sorriso na face do irmão. Que coisa, que registro poderoso e questionador.

Pergunto a mim mesmo:

- Sou grato por tudo que tenho, pelo tanto que tenho, a ponto de me alegrar, de me contentar?

- Nessa época de pandemia, de cortes, desemprego, incerteza e crise econômica, tenho sido "pronto" em repartir, em doar sacrificialmente? ou tenho racionalizado, retido e me preservado?

São perguntas que me levam ao âmago da fé no Cristo crucificado que se entregou por mim. Diante DEle, silencio, me prostro e suplico: Quero ser mais parecido contigo... Permita-me, Senhor. Dá-me mais do Teu coração, do Teu Espírito... Mais graça, mais força, mais amor, mais coragem e mais recursos. Que meus irmãos pequeninos nunca voltem de mãos e corações vazios ao me procurarem.

A você que tem caminhado conosco e repartido o pão, fica nosso abraço MUITO agradecido. Aos que puderem e quiserem somar forças, ESTE É O TEMPO, esta é a ocasião. Que o Eterno abençoe a todos.




0 views0 comments