Categorias
Direitos Humanos

Salvamos uma vida hoje!

“Salvamos uma vida hoje”, “Não é preto versus branco, é todo mundo contra os racistas”.

Essas foram as palavras de Patrick Hutchinson ao descrever o que havia acontecido. É preciso ter coragem e esperança pra fazer o que ele fez. São em momentos como este que a humanidade é construída, ou não. Na tarde de ontem, em Londres, manifestantes contra o racismo foram confrontados por grupos supremacistas brancos. Na confusão, um homem branco foi atingido na cabeça, cai no chão e está prestes a ser linchado. Neste momento Hutchinton intervém, o coloca no ombro e o leva em segurança pra ser socorrido. Coloque-se na cena. Os ânimos acirrados, gritaria, pancadaria, pedras e garrafas voando, policiais com cassetetes e balas de borracha tentando dispersar a multidão. Em meio a tudo isso, num lapso de segundo, como num ato reflexo, um ser humano socorre outro.

Mais do que isso. A beleza, grandeza e dignidade do ato de H. foi em que ele decide socorrer um inimigo caído. Fazendo isso ele não somente salvou seu oponente, mas salvou a si mesmo e salvou a nós todos, que ficamos um pouco mais humanos também. Sua ação abre a possibilidade de redenção para o supremacista branco. Agora ele deve responder à sua consciência que clama por justiça. Como explicará a si mesmo o ato de H.? Mudará de atitude? Não sabemos. Espero que sim.

Mas mesmo que o supremacista não se converta, nem por isso o ato de H. perde seu valor. Ao contrário. Nossos atos de justiça não devem ser motivados pela possibilidade de mudar o outro. Eles têm um valor intrínseco. O amor, a solidariedade, a misericórdia devem ser praticados, ainda que não sejam vistos, valorizados ou reconhecidos. É isso que nos faz humanos.

“Amem seus inimigos”. A proposta de Jesus, de aplicar a cruz a nossa vida diariamente até o ponto de amarmos e socorrermos aqueles que nos odeiam é o único caminho possível para a construção de uma nova humanidade. Um novo mundo é preciso. Um novo mundo é possível.

Seguir a Jesus, o ser humano como todo ser humano deve ser.

O Reino do bem chegou e seu avanço é irreversível.
Há esperança.
Creia.

Foto: Dylan Martinez / Reuters